Oscar 2010: um pouco mais justo!

Oscar 2010
Este ano foi um pouco mais justo!
O primeiro desapontamento que, aliás não foi nenhuma surpresa, foi ver os nomes estúpidos dados para os filmes no Brasil. O pior nome dado foi Guerra ao Terror (The Hurt Locker). A palavra "Loker" pode ser duas coisas: um armário onde você guarda suas coisas pessoais na empresa onde trabalha (ou por exemplo quando você vai numa piscina) ou então, simplesmente um cadeado. A palavra "Hurt" significa "dor". Portanto a tradução "adaptada" seria algo como "cadeado que machuca" ou com o filme aborda o fato de que a guerra pode causar em alguns soldados uma emoção viciante. O filme poderia ter o nome "vício dolorido" ou até "adrenalina". O nome escolhido Guerra ao Terror é tendencioso e pró Norte Americano. A palavra "Terror" está totalmente fora do contexto porque aqueles que lutam contra a ocupação do seu país não são terroristas. Neste caso eles são soldados resistindo à ocupação Norte Americana usando técnicas de guerrilha urbana. Dar o nome de Guerra ao Terror é uma forma subliminar de fazer lavagem cerebral no povo brasileiro. Vamos fazer uma distinção clara aqui: Quando um carro bomba explode no meio de uma feira e mata dezenas de pessoas, homens, mulheres e crianças, isto é terrorismo. Quando um carro bomba explode e mata soldados numa guerra, isto não é terrorismo pois trata-se de resistência às forcas de ocupação.
O filme The Blind Side (O Lado Cego) ganhou o nome adocicado  "Um Sonho Possível". Sinceramente pelo menos, por sinal de respeito, os nomes dos filmes em português deveriam ter obrigatoriamente seus verdadeiros nomes mencionados ao lado entre parênteses.
Melhor Filme: Guerra ao Terror (The Hurt Locker)
O ano passado com o mundo sofrendo os resultados do colapso do sistema financeiro internacional, Hollywood optou pelo isquemia "pão e circo para o povo", premiando o filme Quem Quer Ser Um Milionário?, um conto de fadas moderno promovendo o escapismo para o povão.
Este ano, com um novo presidente nos Estados Unidos, e duas guerras (Iraque e Afeganistão) que, por questões políticas, nunca acabarão, não é surpresa que The Hurt Locker ganhou o premio máximo. A pergunta que fica é: Este filme mereceu o troféu?
À meu ver, não. Como entretenimento o filme é nota 10 e consegue criar bastante tensão e nervosismo. O filme é muito bem editado e realista. A história tenta ser contada de uma forma neutra do jeitinho que o Obama aprovaria. Quer dizer, os Norte Americanos estão lá mas, o crítica é bem leve.
Os atores principais parecem cowboys bronzeados tirados de uma publicidade dos cigarros Marlboro. O  filme é um show de homens suados, mostrando seus músculos e cheios testosterona. Vendo por este ângulo, não é surpresa que o filme foi dirigido por uma mulher a Bigelow ( a ex do Cameron).  Depois que o filme terminou fiquei com a sensação de que tinha visto um seriado da TV.
Na minha opinião, o melhor filme foi: Preciosa (Precious), um drama poderoso, que sobrevive somente através das grandes interpretações de seus atores principais sem precisar de efeitos especiais ou esquemas milionários.
Melhor Direção: Kathryn Bigelow, “Guerra ao terror (The Hurt Locker)”
Injusto! Muito embora o diretor Lee Daniels de "Preciosa (Precious)" realmente merecesse o Oscar eu daria para o Tarantino por seu filme "Bastardos Inglórios (Inglorious Bustards)". O filme do Tarantino é um exercício de cinema fenomenal.
Melhor atriz:  "Um Sonho Possível" (The Blind Side)
Duvidoso! Bom, se não tivesse sido a Sandra Bullock, teria sido a Meryl Streep pelo seu papel em "Juli & Julia". Considerando-se que eu já vi melhores performances da Meryl Streep em outros filmes a Sandra Bullock pode ficar, desta vez, com o troféu apesar de que ela ainda não ter me convencido totalmente.
Melhor ator: Jeff Bridges "Coração Louco (Crazy Heart)"
Muito justo! O filme é fraquinho mas a atuação do Jeff Bridges é perfeita. Convém nota que o homem já está sofrendo de "tipecasting". O número de filmes que ele faz papel de louco, excêntrico e chapado dá para perder a conta.
Melhores efeitos visuais: “Avatar”
Justo! Este prêmio foi meio óbvio. Devo deixar claro que, Star Trek também merecia.
Melhor cinematografia (fotografia): “Avatar”
Injusto, nem em um milhão de anos! Este premio poderia ter sido dado para "Bastardos Inglórios (Inglorious Bustards)".
Melhor atriz coadjuvante: Mo’Nique, “Preciosa”
Justo! Quando assisti este filme, imediatamente percebi que Mo"Nique tinha Oscar pedigree. Sua atuação como mãe da Preciosa foi brutalmente convincente!
Melhor ator coadjuvante: Christoph Waltz, "Bastardos Inglórios (Inglorious Bustards)"
Justo! A atuação Christoph Waltz neste filme é uma aula de teatro, este ator faz nos sentir humilhados pois ele coloca sua arte num patamar tão alto que fica impossível para nos pobres mortais contemplar a possibilidade de um dia chegar próximo das suas habilidades artísticas.
No geral, as premiações foram dentro do esperado sem grandes surpresas. O filme que ganhou foi mais um exercício de propaganda militar Norte Americana em suporte aos seus soldados derrumando The Smurfs (Avatar), uma fábula anti-imperialista onde o povo oprimido chuta a bunda dos Norte Americanos e poem todo mundo para correr. Esta premiação do Oscar foi mais uma vitória do Golias contra o David. De qualquer forma, como já sei como o jogo funciona, pessoalmente fiquei este ano menos desapontado do que no ano passado.
Até mais, conversamos novamente sobre as premiações do Oscar no ano que vem...
Antonio Celso Barbieri
oscar

Oscar 2010: Este ano foi um pouco mais justo!

O primeiro desapontamento que, aliás não foi nenhuma surpresa, foi ver os nomes estúpidos dados para os filmes no Brasil. O pior nome dado foi Guerra ao Terror (The Hurt Locker). A palavra "Loker" pode ser duas coisas: um armário onde você guarda suas coisas pessoais na empresa onde trabalha (ou por exemplo quando você vai numa piscina) ou então, simplesmente um cadeado. A palavra "Hurt" significa "dor". Portanto a tradução "adaptada" seria algo como "cadeado que machuca" ou com o filme aborda o fato de que a guerra pode causar em alguns soldados uma emoção viciante. O filme poderia ter o nome "vício dolorido" ou até "adrenalina". O nome escolhido Guerra ao Terror é tendencioso e pró Norte Americano. A palavra "Terror" está totalmente fora do contexto porque aqueles que lutam contra a ocupação do seu país não são terroristas. Neste caso eles são soldados resistindo à ocupação Norte Americana usando técnicas de guerrilha urbana. Dar o nome de Guerra ao Terror é uma forma subliminar de fazer lavagem cerebral no povo brasileiro. Vamos fazer uma distinção clara aqui: Quando um carro bomba explode no meio de uma feira e mata dezenas de pessoas, homens, mulheres e crianças, isto é terrorismo. Quando um carro bomba explode e mata soldados numa guerra, isto não é terrorismo pois trata-se de resistência às forcas de ocupação.

Outro erro grave foi feito com o filme The Blind Side (O Lado Cego) que ganhou o nome melado  "Um Sonho Possível". Sinceramente pelo menos, por sinal de respeito, os nomes dos filmes em português deveriam ter obrigatoriamente seus verdadeiros nomes mencionados ao lado entre parênteses.

Melhor Filme: Guerra ao Terror (The Hurt Locker)

O ano passado com o mundo sofrendo os resultados do colapso do sistema financeiro internacional, Hollywood optou pelo esqueminha "pão e circo para o povo", premiando o filme Quem Quer Ser Um Milionário?, um conto de fadas moderno promovendo o escapismo para o povão.

Este ano, com um novo presidente nos Estados Unidos, e duas guerras (Iraque e Afeganistão) que, por questões políticas e econômicas, nunca acabarão, não é surpresa que The Hurt Locker ganhou o premio máximo. A pergunta que fica é: Este filme mereceu o troféu?

À meu ver, não. Como entretenimento o filme é nota 10 e consegue criar bastante tensão e nervosismo. O filme é muito bem editado e realista. A história tenta ser contada de uma forma neutra do jeitinho que o Obama aprovaria. Quer dizer, os Norte Americanos estão lá mas, o crítica é bem levinha, quase não existente.

Os atores principais parecem cowboys bronzeados tirados de uma publicidade dos cigarros Marlboro. O  filme é um show de homens suados, mostrando seus músculos e cheios testosterona. Vendo por este ângulo, não é surpresa que o filme foi dirigido por uma mulher a Bigelow ( a ex do Cameron).  Depois que o filme terminou fiquei com a sensação de que tinha visto um seriado da TV.

Na minha opinião, o melhor filme foi: Preciosa (Precious), um drama poderoso, que sobrevive somente através das grandes interpretações de seus atores principais sem precisar de efeitos especiais ou esquemas milionários.

Melhor Direção: Kathryn Bigelow, “Guerra ao terror (The Hurt Locker)”

Injusto! Muito embora o diretor Lee Daniels de "Preciosa (Precious)" realmente merecesse o Oscar eu daria para o Tarantino por seu filme "Bastardos Inglórios (Inglorious Bustards)". O filme do Tarantino é um exercício de cinema fenomenal.

Melhor atriz:  Sandra Bullock, "Um Sonho Possível" (The Blind Side)

Duvidoso! Bom, se não tivesse sido a Sandra Bullock, teria sido a Meryl Streep pelo seu papel em "Juli & Julia". Considerando-se que eu já vi melhores performances da Meryl Streep em outros filmes a Sandra Bullock pode ficar, desta vez, com o troféu apesar de que, como atriz, ela ainda não conseguiu convencer-me totalmente.

Melhor ator: Jeff Bridges "Coração Louco (Crazy Heart)"

Muito justo! O filme é fraquinho mas a atuação do Jeff Bridges é perfeita. Convém notar que o homem já está sofrendo de "tipecasting". O número de filmes que ele faz papel de louco, excêntrico e chapado dá para perder a conta.

Melhor atriz coadjuvante: Mo’Nique, “Preciosa” (Precious)

Justo! Quando assisti este filme, imediatamente percebi que Mo"Nique tinha Oscar pedigree. Sua atuação como mãe da Preciosa foi brutalmente convincente!

Melhor ator coadjuvante: Christoph Waltz, "Bastardos Inglórios (Inglorious Bustards)"

Justo! A atuação Christoph Waltz neste filme é uma aula de teatro, este ator faz nos sentir humilhados pois ele coloca sua arte num patamar tão alto que fica impossível para nós pobres mortais contemplarmos a possibilidade de um dia chegarmos próximos das suas habilidades artísticas.

Melhor cinematografia (fotografia): “Avatar”

Injusto, nem em um milhão de anos! Este premio deveria ter sido dado para "Bastardos Inglórios (Inglorious Bustards)".

Melhores efeitos visuais: “Avatar”

Justo! Este prêmio foi meio óbvio. Devo deixar claro que, Star Trek também merecia.

No geral, as premiações foram dentro do esperado sem grandes surpresas. O filme que ganhou foi mais um exercício de propaganda militar Norte Americana em suporte aos seus soldados derrumando The Smurfs (Avatar), uma fábula anti-imperialista onde o povo oprimido chuta a bunda dos Norte Americanos e poem todo mundo para correr. Esta premiação do Oscar foi, infelizmente mais uma vitória do Golias contra o David. De qualquer forma, como já sei como o jogo funciona, pessoalmente fiquei este ano menos desapontado do que no ano anterior.

Antonio Celso Barbieri

Articles View Hits
7840256

We have 728 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro