Morre Hunter S. Thompson (2005)

“I hate to advocate drugs, alcohol, violence, or insanity to anyone, but they've always worked for me.” - Dr. Hunter S. Thompson

"Doctor, Hunter S. Thompson: é um jornalista como nenhum outro. Um dos deuses, o mais torto, certamente, do novo jornalismo ou jornalismo literário, vive agora escondido da caretice do mundo em uma montanha do Colorado". (Matthew Shirts).

Felipe Caduco queria me emprestar Las Vegas na cabeça, respondi empréstimo é uma forma de acabar a amizade; Rodrigo Souves todos os dias me falava de Medo e delírio. Agora que sua obra novamente chega ao Brasil, Doctor Thompson escapa da vida pelas suas próprias mãos... (Mário Pazcheco)

. Nascido no Kentucky
. Derrotado para Xerife de Aspen.
. Decolou todas as manhãs nos 70 (e 80... e provavelmente no século XXI)
. Jornalista de sucesso.
. Contamina o sitema.
. Resmunga ininteligentemente.
. Personagem de quadrinhos.
. Interpretado em filmes por Bill Murray, Johnny Depp.
. Encontrado morto num condomínio fortificado numa região selvagem do Colorado.
. Urinava nos pés das pessoas.

hunternow

Morre Hunter S. Thompson
(Mário Pazcheco)


Estados Unidos. Em informe deprimente da polícia: o escritor e jornalista americano Hunter S. Thompson, um dos papas-léguas da contracultura dos anos 60, morreu no domingo (20 fev. / 2005) por causa de um ferimento causado por ele mesmo. Hunter S. Thompson de 67 anos aparentemente cometeu suicídio com um tiro em sua residência de Woody Creek, em Colorado (oeste). As autoridades se negaram a divulgar outros detalhes sobre a morte de Thompson.

Pioneiro do chamado jornalismo gonzo (enfoque violento e satírico), que dá um pontapé na objetividade e na imparcialidade, mergulhando de cabeça nas matérias e adotando um estilo totalmente subjetivo e pessoal. Ao longo das décadas de 60 e 70, o Dr. Thompson, como ficou conhecido, foi um dos mais marcantes colaboradores de revistas como a Rolling Stone e a Playboy, abordando os mais variados temas, considerado por muitos especialistas um dos autores americanos mais importantes do século XX, que misturava a realidade e ficção em primeira pessoa que o transformou em objeto de culto.

Ficou famoso em 1966 com a publicação do seu primeiro livro Hell's Angels, a história de seu relacionamento com o temido grupo de motociclistas de mesmo nome.

Seus livros mais conhecidos são o romance Las Vegas na cabeça, assim como Fear and Loathing on the Campaign Trail 72, uma seleção de artigos que escreveu para a revista Rolling Stone quando cobriu a campanha eleitoral do presidente da época, Richard M. Nixon.

 

Indicação de leitura

Las Vegas na Cabeça - Como disse seu próprio autor, o livro é o epitáfio da cultura de drogas dos anos 60. Narrando uma paranóica viagem de Hunter e seu advogado samoano (!) a Las Vegas em busca do sonho americano. Saiu no Brasil!

A grande caçada aos tubarões - (Editora Conrad). Suas principais matérias estão reunidas neste livro. Das eleições presidenciais norte-americanas à cultura hippie, do caso Watergate à violência policial, nada escapa da metralhadora giratória do mais ácido jornalista da América. O livro também traz artigos que contam sua passagem pela América do Sul, onde a podridão da elite local sofre uma verdadeira devassa pelos olhos deste escritor que inventou a subjetividade jornalística.

Entre histórias inacreditáveis e situações absolutamente absurdas, surgem personagens impagáveis, como o ilustrador britânico Ralph Steadman, que o Dr. Thompson consegue meter nas mais incríveis roubadas, e Yail Bloor, companheiro de uma enlouquecida viagem de avião do México aos Estados Unidos, regada a todo tipo de droga.
Com um senso de humor dos mais incisivos e um estilo único, Hunter S. Thompson aborda os aspectos mais inesperados de tudo em que se envolve. Este livro é um dos mais poderosos registros de uma época em ebulição.

Hell's Angels - (Editora Conrad)

Saudades dos Hell's Angels?
"Isso foi no início de primavera de 1965. No meio do verão, eu tinha me envolvido tanto com o ambiente dos desordeiros que não tinha mais certeza se estava fazendo uma pesquisa sobre os Hell's Angels ou se estava, aos poucos, entrando para o grupo. Quando me dei conta, estava passando dois ou três dias da semana em bares dos Angels, na casa deles, em viagens e festas. No começo, eu os mantive longe do meu mundo, mas após alguns meses,meus amigos ficaram acostumados a encontrar Hell's Angels no meu apartamento a qualquer hora do dia ou da noite. As chegadas e saídas causavam alvoroços periódicos na vizinhança e às vezes as pessoas se aglomeravam na calçada."

Filmografia

Medo e delírio - O livro lançado no Brasil em meados dos anos 80 com o título Las Vegas Na Cabeça, é quase uma lenda urbana – impossível de achar em sebos. Foi adaptado para o cinema pelas mãos de Terry Gilliam (Os Doze Macacos, Brazil, Monthy Phyton), com Johny Depp e Benicio Del Toro nos papéis principais – lançado no Brasil com o título Medo e Delírio. Um verdadeiro primor de paranóia e defesa do junkie way of life, além de grandes atuações de Depp e Del Toro. ( Diego Fernandes, 21 anos, gosta de filmes ruins).

Where the buffalo roam - 1980. 100 min. Violentíssima crítica de Art Linson em cima do american way of life. A legenda engraçada de Hunter S. Thompson, jornalista radical e famoso consumidor de álcool e drogas. Faz uma vista nostálgica dos anos 60 e início do 70, usufruindo dos trabalhos deste famoso cult hero. Temas musicais diversos originais de Neil Young ao lado de desempenhos históricos de Hendrix (Purple haze, All along the Watchtower), Bob Dylan (Highway 61), Creedence Clearwater (Keep on chooglini) e Temptations (Papa was a rolling stone).

Discografia

No tributo a Jack Kerouac, Kicks joy darkness; Hunter S. Thompson lê uma carta de sua autoria endereçada a William Burroughs.

 

--------------------------------------------------------------------------------

 

Festa para Hunter S. Thompson

BBC Brasil - 7 mar. / 2005 - 11h53. Uma festa em homenagem ao escritor e jornalista americano Hunter S. Thompson, que se suicidou no dia 20 de fevereiro, reuniu seus amigos e familiares em Aspen, no Estado americano do Colorado, na noite de sábado.
Entre os convidados que foram ao Hotel Jerome estava o ator Johnny Depp, que viveu o escritor no filme Medo e Delírio em Las Vegas, em 1998.
O saguão e a fachada do hotel estavam decorados com fotos em tamanho real de Thompson, que foi encontrado morto por seu próprio filho, Juan.
A viúva de Thompson, Anita, de 32 anos, depois revelou que conversava ao telefone com o marido quando ouviu o "clique do revólver" pouco antes do disparo.
O escritor tinha 67 anos e foi o pioneiro de um estilo de jornalismo no qual o autor é parte essencial da história e observador agudo da vida americana.

Candidato a xerife
Uma figura excêntrica, Thompson sempre fez questão de preservar sua privacidade.
"Acho que foi por isso que ele veio morar aqui em Aspen, onde não estava exposto ao público", disse uma moradora da cidade, Anna Bugge.
Visando respeitar isso, a família proibiu a entrada de fotógrafos e jornalistas na festa.
À porta do hotel, havia uma faixa com os dizeres "Thompson para xerife", uma referência à sua tentativa frustrada de chegar ao cargo, em 1970.
Amigos e moradores de Aspen dizem que o escritor coordenou sua campanha, naquela época, a partir do bar do Hotel Jerome.

Clássico psicodélico
Hunter S. Thompson ficou conhecido por suas observações da decadência e depravação da vida nos Estados Unidos.
O maior destaque de sua carreira foi o relato de uma viagem movida a cocaína para o Estado de Nevada, escrito em 1972, com o título Fear and Loathing in Las Vegas, que no Brasil se chamou "Las Vegas na Cabeça" e depois deu origem ao filme Medo e Delírio.
Las Vegas na Cabeça tornou-se um clássico psicodélico, contando a história da viagem de Thompson pelo oeste dos Estados Unidos em busca do chamado "sonho americano".
"A ficção é baseada na realidade, a menos que você seja um artista de contos de fadas", disse ele à agência de notícias Associated Press, em 2003.
"Você tem que adquirir conhecimento sobre a vida em algum lugar. Você tem que conhecer o material sobre o qual está escrevendo antes de alterá-lo."
Seu primeiro romance, The Rum Diary, escrito em 1959, só foi publicado em 1998.
Seu mais recente trabalho foi Hey Rube: Blood Sport, The Bush Doctrine and the Downward Spiral of Dumbness, uma antologia de suas colunas.

 

Cinzas de Hunter Thompson são lançadas de um canhão nos Estados Unidos

zzz1453

Folha Online

21 ago./2005 - As cinzas do lendário Hunter S. Thompson foram dispersas no ar, disparadas por um canhão no sábado, na sua casa do Colorado, como queria o excêntrico escritor, criador do "jornalismo gonzo".

As cinzas do autor de Medo e Delírio em Las Vegas, que se suicidou no dia 20 fev./2005, foram lançadas por um canhão sobre um monumento em forma de punho gigante, um curioso projeto financiado pelo ator Johnny Depp, que interpretou Thompson no filme baseado no livro homônimo.

O lançamento das cinzas de Thompson aconteceu ao pôr-do-sol, seis meses após sua morte. Depp, Sean Penn e Jack Nicholson iriam prestigiar o evento.

"Creio que ele teve muita imaginação e este [funeral] sempre foi uma fantasia dele", disse Troy Hooper, editor do jornal "Daily News", de Aspen.

Depp financiou o monumento, de ferro, com 45 metros de altura e 2,4 de largura, construído ao lado da estação de esqui de Aspen, onde Thompson morava e se suicidou, aos 67 anos.

"Johnny iniciou este projeto pouco depois do suicídio de Hunter", continuou Hooper. "Hunter havia mencionado a idéia de que seus restos fossem lançados ao ar por um canhão, e Johnny tem os meios e a logística para transformar esta ideia em realidade", acrescentou.

"Ele [Thompson] queria que lançassem suas cinzas de um canhão. Creio que isso está escrito em seu testamento", disse Hooper à agência de notícias AFP, pouco depois do suicídio de Hunter Thompson.

"Esse é o estilo de Hunter. É assim que ele gostava de fazer as coisas. Era fanático por fogos de artifício, explosões e qualquer coisa que fizesse 'bang'", acrescentou Hooper.

Desprezado pela imprensa tradicional, Thompson -- colaborador da revista "Rolling Stone" e autor de livros como Rum - Diário de um Jornalista Bêbado" -- batizou seu estilo de "gonzo", ideia que surgiu após ter visto uma corrida de cavalos.

 

Rolling Stone publica últimas frases de jornalista antes de suicídio
Folha Online*

A "Rolling Stone", revista na qual Hunter S. Thompson escreveu por anos, irá publicar uma nota escrita pelo jornalista pouco antes de cometer suicídio, em fevereiro deste ano.


8 set. / 2005 - Nascido em 1937 e conhecido por seu estilo explosivo, irreverente e satírico, Hunter Thompson contava histórias incongruentes e delirantes em primeira pessoa, a única garantia que encontrava para descrever corretamente suas próprias experiências.

Desprezado pela imprensa tradicional, Thompson, um colaborador da revista "Rolling Stone" e autor de livros como Rum - Diário de um jornalista bêbado, batizou seu estilo de "gonzo", ideia que surgiu após ter visto uma corrida de cavalos.

Douglas Brinkley, biógrafo oficial de Thompson, afirma que as frases, deixadas em 16 de fevereiro, podem ter sido as últimas escritas pelo jornalista. A nota diz: "Chega de jogos. Chega de bombas. Chega de caminhar. Chega de diversão. Chega de nadar. Sessenta e sete. São 17 anos além dos 50. Dezessete a mais do que eu precisava ou desejava. Chato. Sou sempre desbocado. Sem diversão -- para ninguém. Sessenta e sete. Você está se tornando mesquinho. Assuma sua idade avançada. Relaxe -- isso não vai doer".

Thompson deixou a nota para sua mulher, Anita. Ele atirou em si mesmo quatro dias depois em sua casa, em Aspen (Colorado), após semanas de dor devido a problemas físicos que incluíam uma perna quebrada. A nota tem o título Football Season Is Over ("A Temporada de Futebol Acabou").

Brinkley escreve na revista, que estará nas bancas dos Estados Unidos nesta sexta-feira: "Fevereiro sempre foi o mês mais cruel para Hunter S. Thompson. Fã ávido da NFL [liga profissional de futebol norte-americana], Hunter tradicionalmente se envolvia com o Super Bowl em janeiro, como se fosse o período mais importante do ano. Fevereiro, ao contrário, era a época da depressão".

*Com agências internacionais.

 

Articles View Hits
6961029

We have 773 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro