OS SENSÍVEIS LIVROS DE PETE & ROGER, OS SOBREVIVENTES DO THE WHO (2021)

LÍDERES DO THE WHO, PETE TOWNSHEND E ROGER DALTREY, TROCAM ALFINETADAS EM LIVROS

O primeiro lança A ERA DA ANSIEDADE, romance sobre artista que disseca os sons, e o segundo ataca todos em autobiografia

Ivan Finotti
https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2021/07/lideres-do-the-who-pete-townshend-e-roger-daltrey-trocam-alfinetadas-em-livros.shtml?utm_sou… 1/10

27.jul.2021 às 15h15

Por um acaso que vai contentar seus fãs, os líderes da longeva banda de rock The Who lançam um livro cada um neste mês no Brasil. São eles A ERA DA ANSIEDADE, uma história ficcional do guitarrista e compositor Pete Townshend, e VALEU, PROFESSOR KIBBLEWHITE, que tem nome de romance, mas se trata da autobiografia do vocalista Roger Daltrey.

O romance de Townshend não é ambicioso só no nome. O músico se propôs a descrever música em letras, enquanto conta a história de Walter, um músico de relativo sucesso que passa a escutar sons misteriosos vindos da sua plateia. Ele tentará transformar aqueles ruídos em música.

“Não muitos autores tentaram descrever o som da música, ou o som dos sons. Isso foi algo que resolvi fazer da melhor forma que pude. As ‘paisagens sonoras’ escritas por Walter, que ele ouve quando encara a audiência nos shows, tinham que funcionar tanto como trilhas musicais quanto como passagens descritivas”, contou Townshend, em entrevista.

O curioso é que o guitarrista está tentando fazer o mesmo na vida real. “O concerto no final do livro é imaginário. Mas eu planejo uma ópera real que contará a história toda do romance e, nos minutos finais, vai apresentar o concerto do livro. De fato, escrevi 13 paisagens sonoras que funcionariam muito bem em um concerto sério. Mas, no final, alguém vai ter que pegar uma guitarra elétrica e tocar ‘My Generation’ para que o público possa ouvir algo menos exigente.”

“Esses meus textos foram usados por James Morgan e Juliette Pochin, meus colaboradores na ópera, para criar música, exatamente como o pai de Walter faz no livro com os escritos do filho. Eles também serão usados como ‘partituras’ da música eletrônica que usarei numa instalação que fará parte da apresentação da ópera. Imagino várias camadas de apresentações, incluindo um filme musical.”

Questionado se essa ópera se trata de um projeto para a banda The Who, Townshend não pôde deixar de rir. “Quando você usa o termo ‘projeto do Who’, eu rio, porque você assume que Roger Daltrey vai me seguir em qualquer caminho artístico ou sociopolítico que eu tome. Eu não tenho esse poder. Roger e eu refletimos a polarização. Eu sou um liberal de esquerda. Roger é mais do centro, possivelmente de direita.”

“Artisticamente, nós nos encontramos quando tocamos música sem posição política. Eu cuidadosamente evitei qualquer tipo de ideias políticas ou mesmo metafísicas quando escrevi as canções para nosso último álbum,‘Who’ [2019]. Demorou muito tempo para que eu me acostumasse a essa diferença entre nós. Pessoalmente, ficamos mais próximos, mais amigáveis e mais tranquilos um com o outro. Mas eu não acho que poderia fazer um outro ‘Tommy’ com Roger.”

Falando em Daltrey, sua autobiografia parece esclarecer melhor essas diferenças. Ele não se furta de criticar Townshend algumas vezes e tem um prazer especial em esfregar seu sucesso na cara do professor que o expulsou da escola quando garoto — e ainda disse que ele não seria nada na vida. Daí o nome de sua obra, “Valeu, Professor Kibblewhite”.

Angustiado no início da carreira porque seu parceiro queria tocar blues e, dessa forma, arriscar perder os fãs que a banda já tinha amealhado, Daltrey escreve “se fôssemos longe demais em nossa onda de blues, em uma guinada muito repentina, nós os perderíamos, e, se os perdêssemos, estaríamos fodidos”.

“Fodido, para Pete, queria dizer continuar sua graduação em arte, o que significava ficar o dia inteiro deitado na cama fumando maconha e comparecer à aula do momento para imaginar o mundo do ponto de vista de uma esponja. Fodido, para mim, era algo bem diferente. Eu não estava na faculdade. O Estado não limpava meu rabo. Eu tinha uma visão bem diferente da vida. Daí, diferenças musicais.”

Apesar das diferenças, ambos os livros são bem escritos e seguram o interesse. O romance de Townshend saiu no Reino Unido em 2019, enquanto o livro de Daltrey havia sido lançado um ano antes. Aí aconteceu o acaso no Brasil — a BestSeller pôs VALEU, PROFESSOR KIBBLEWHITE nas lojas brasileiras há uma semana e a Rocco lança A ERA DA ANSIEDADE agora.

Townshend já havia lançado sua própria autobiografia — A AUTOBIOGRAFIA, editada pela Globo em 2013 — e também um livro de contos editado aqui pela Brasiliense com o nome TREZE.

O guitarrista ainda lembrou sua principal influência para o romance. “Diria que foi Jorge Luis Borges . Li uma coletânea de contos dele quando estava em turnê com o Who em 1967 e sua forma de ver a ficção versus realidade e seus enredos maliciosos ficaram para sempre comigo. Acho que é o único autor que eu poderia ligar ao processo de A ERA DA ANSIEDADE.”

O narrador do romance é um homem mais velho, Louis, padrinho de Walter, que tem um segredo e por isso resolve pôr sua história no papel. Enquanto os anos passam, uma série de figuras femininas importantes passeia pelas vidas dos dois, e a história de um estupro pode voltar para assombrar. Townshend, que foi preso no Reino Unido em 2003 por ter usado seu cartão de crédito para acessar um site de pornografia infantil, negou que Louis seja seu alterego e falou sobre a prisão.

O músico sempre argumentou que estava pesquisando sites do gênero para os denunciar. Na ocasião, a polícia não encontrou fotos ou vídeos de crianças em seu computador, mas o pôs numa lista oficial britânica de criminosos sexuais por cinco anos.

“Aceitei entrar na lista porque eu não podia levar meu caso à corte. A polícia precisava de algo para me culpar. Na verdade, eles foram muito corteses no trato pessoal. Mas eu estava exausto pela forma como fui considerado culpado pela imprensa e achei que não sobreviveria a mais um período de exposição. Explico mais detalhes na minha autobiografia. Em relação ao romance, talvez minha prisão, inocência e humilhação tenham aberto caminho para que eu escrevesse sobre alguém acusado de crime sexual.”

Por fim, há algo a se criticar em A ERA DA ANSIEDADE. Em dado momento, uma série de coincidências tão absurdas começa a acontecer com os personagens que o livro corre o risco de derrapar.

Townshend consentiu. “Minha mulher também me avisou sobre isso. Todas as coincidências são inacreditáveis, de certa forma. Na ópera tradicional, o drama é movido por forte tragédia humana. O livro foi escrito para ser veículo de um libreto de ópera, e, ali, as coincidências caem de forma mais apropriada. Elas são mágicas e espantosas para os personagens do enredo.”

E finaliza. “Meu livro é sobre muitas coisas além de estupro, assassinato ou mesmo loucura. É sobre criatividade, música, imaginação e intervenções angelicais. Além disso, é meu primeiro romance. Então me dá um desconto, Ivan!”

A ERA DA ANSIEDADE

Preço R$ 69,90 (304 págs.), R$ 34,90 (ebook)
Autor Pete Townshend
Editora Rocco

VALEU, PROFESSOR KIBBLEWHITE

Preço R$ 64,90 (280 págs.), R$ 45,90 (ebook)
Autor Roger Daltrey
Editora BestSeller

Articles View Hits
9502534

We have 1080 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro