RICK PARFITT GUITARRISTA DA BANDA STATUS QUO, MORRE AOS 68 ANOS

rickparfitt 1

Rick and Lyndsay married in 2006 and had eight-year-old twins Tommy and Lily


THERE UNTIL THE END

Rick Parfitt’s wife who he dumped months ago stayed by his side until his death
Lyndsay Parfitt and husband Rick were still close
BY EMMA LAKE - https://www.thesun.co.uk/news/2477670/rick-parfitts-wife-who-he-dumped-months-ago-stayed-by-his-side-until-his-death/

26 dez. / 2016 - ROCKER Rick Parfitt’s wife stayed by his side to the end, caring for him through his illness, despite having been dumped by the Stats Quo star months before.

Lyndsay Parfitt and husband Rick were still close and she had arranged his hospital visit.

He died in hospital in Spain on Friday from a severe infection following complications to a shoulder injury.

The music legend had made plans to write his autobiography and a new solo record just months before his death aged 68.

He was desperate to put pen to paper and reveal untold stories about his days in Status Quo, which are now unlikely to see the light of day.

Meanwhile, he had also asked Status Quo ­producer Pip Williams to produce his debut solo album.

While bandmate Francis Rossi has yet to comment, Rick’s son Rick Jr tweeted: “I cannot describe the sadness I feel. To many he was a rock tar, to me he was simply ‘Dad’, and I loved him hugely. RIP Pappa Parf.”


And Queen guitarist Brian May added: “Shocked and so sad to hear of the passing of Rick Parfitt. Hard to find words, You truly joyfully rocked our world. RIP dear buddy.”

 

Guitarrista da banda Status Quo, Rick Parfitt morre aos 68 anos
Músico britânico morreu na Espanha devido a uma infecção

POR REUTERS 

BRITAIN-MUSIC PARFITT-G8H325RRH.1

Rick Parfitt (à esquerda) com o vocalista Francis Rossi durante apresentação do Status Quo em 2009 - Luke MacGregor / REUTERS

24 dez. / 2016 - LONDRES - O guitarrista da banda britânica Status Quo, Rick Parfitt, morreu em hospital na Espanha neste sábado, aos 68 anos, após contrair uma infecção grave, divulgou seu empresário.

"Estamos verdadeiramente devastados por ter que anunciar que o guitarrista Rick Parfitt da Status Quo faleceu", disseram a família do músico e Simon Porter, empresário do Status Quo, em comunicado conjunto.

"Ele morreu em um hospital em Marbella, Espanha, como resultado de uma infecção grave, tendo sido internado no hospital na noite de quinta-feira após complicações em uma lesão no ombro sofrida em queda anterior", disse a família.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/musica/guitarrista-da-banda-status-quo-rick-parfitt-morre-aos-68-anos-20691872#ixzz4Tw3hSutK
© 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

 

Arquivos Do Próprio Bol$o

Queremos "Status"  
por Cláudia "Lennon"

(OU: Será que ninguém no Brasil gosta de "status"?)

1982 passou inteiro sem que visse uma nota sequer a respeito. Enquanto lá fora, como sempre aliás, se escrevia páginas e páginas e matérias especiais e mil ti ti tis sobre o assunto, aqui dentro nada se fez ouvir ou noticiar à respeito dos 20 anos do STATUS QUO, um dos melhores grupos de Rock que já pintaram.

Pra quem não sabe, o STATUS QUO é um conjunto de Rock inglês, surgido em 1962, que se chamou primeiramente The Spectres (Os Fantasmas) tendo em sua formação Francis Rossi (Guitarras e vocais), Alan Lancaster (Baixo), John Coghlan (batera), e Roy Lines (teclados); após a entrada de Richard "Rick" Parfitt (vocais), o grupo mudou de nome e se tornou The Traffic Jam (Congestão de trânsito); mas acontece que na época havia o conjunto de Steve Winwod, também chamado Traffic, e em 1967 eles mudaram definitivamente para Status Quo. Explodiram com os sucessos "Picture Of Matchstick Man", "Accident Prone" e "Ice In The Sun". A venda do grupo com a imagem-comercial-do-Flower-Power quase os levou à dissolução. Após uma profunda depressão entre 1969 e 1972, conseguiu armar um comeback cheio de êxito com o seu já consagrado Rock'n'Roll descomplicado, embora cheio de força e energia, e dinâmico. Compactos: "Roll Over Lay Down", "Rain"; LPs Piledriver, Rockin' All Over The World. No lugar de Roy Lines que saiu em 1970, está Andy Bown (ex-Pink Floyd) em concertos ao vivo desde 1977.

Status(?) para o Status 
(Cláudia "Lennon"*)

O Príncipe Charles é fanzoco do Status QUO!!!

O que a maioria das estrelas do Rock só pode ter em sonhos, foi o Satus Quo quem conseguiu há pouco tempo: um membro da família real como fã e em pessoa! Num concerto beneficiente para 11.000 pessoas, sentou-se o Príncipe Charles em meio ao público. Depois de assistir ao seu primeiro concerto de Rock ao vivo, ele foi se encontrar com os integrantes do Status Quo atrás do palco. Um fabuloso presente de aniversário para o Status Quo, que comemora em 1982 o seu vigésimo aniversário de formação do grupo e que por isso batizaram seu novo disco também de 1982. (Pop Rocky/Melody Maker - Pop alemã nº13 - 1982).

(Nota da tradutora/redatora: será mesmo que "O sonho" da maioria das estrelas ou mesmo das não estrelas do ROCK é ter como fã o Príncipe Charles ou qualquer outro membro da família (irc) real???????????)

Fev./1982. STATUS QUO anuncia seu novo baterista, Pete Kircher e com ele comemoram nesse ano 20 anos de rock.

Abr. No início de abril, lançaram seu álbum 1982, e seu carro-chefe foi "Dear John" (que, surpreendentemente, felizmente, chegou até (?!) a tocar em certas rádios brasileiras na época) feita em homenagem a John Lennon. Pra quem ainda não percebeu, preste atenção, 1982 significa também, 1+9+8+2 = 20 anos.

Gostaria realmente de saber se nesse nosso alegre e desvairado Brazzzil existe algum fã-clube e/ou algum rockeiro que seja Status Quomaníaco, se alguém souber, me avise já.

 (Originalmente publicado no Jornal do Rock, nº6 - mai/jun./1983 - Cláudia "Lennon" - Rio de Janeiro - Yellow Submarine Cortesia*)

 

Notas que alimentaram o inconsciente coletivo

Russos vão curtir o Quo
O rock-pauleira vai atravessar a cortina de Ferro. A proeza é do grupo inglês Status Quo que foi convidado pelo empresário russo Vladimir Rishkov para tocar em Leningrado no fim do ano. O Quo foi o conjunto escolhido porque seu compacto "Piledriver" já conseguiu vender, só em Leningrado, mais de 30 000 cópias. O empresário Rishkov diz que os shows do grupo terão "caráter cultural". (Revista Pop, nov. / 1974).

Pergunte ao guru: Homens do Status 
(Revista Pop)

Guruzão: quero saber o nome e a cidade de nascimento de cada um dos caras do Status Quo. Pode ser? Fernando Nardi - São Paulo, SP.

Tá aí, Fernando: o guitarrista Richard Parfitt nasceu em Woking; Mike Rossi, também guitarrista, em Forest Hill; o baixista Alan Lancaster, em Beckenham, e o batera, John Coghlan, em Walthamstow. Isso tudo é na Inglaterra, viu?

"Ao vivo, o Status Quo tem um dos espetáculos mais impressionantes que já se viu no rock. O guitarrista Mike Rossi faz uma verdadeira ginástica no palco, servindo de ligação entre os músicos mexendo com o público, aumentando o volume do amplificador do baixista Alan Lancaster sem ele saber... enfim, criando um clima de loucura e muita alegria, pra todo mundo dançar" (Revista Pop, 1976).

"Mike Rossi, o líder do Satus Quo, é sempre o último a entrar no palco. O resto do grupo fica mais de cinco minutos esquentando o público, preparando o clima para a guitarra demolidora de Rossi". (Revista Pop).

Status Quo comemora 15 anos de pauleira

O Status Quo foi fundado em 1962 por Alan Lancaster e Francis Rossi, companheiros de quarto na Sedgehill School, uma escola londrina. "Naquela época, descobrimos que a guitarra elétrica seria a maior fonte de energia do rock. Para amenizar a rotina da vida escolar, resolvemos criar um grupo que usasse justamente a guitarra para criar o clima das nossas músicas". Jornal Hit Parade/Revista Pop, 1977.

"um sucesso fácil e seguro, produzindo LPs extremamente cansativos que levaram a crítica inglesa a chamá-lo de o pior conjunto do mundo" (Jornal de Brasília, 1979).

"Pensar que vai levar algumas décadas para que sejam lançados aqui os discos do misterioso Joy Division, que, em sua curta existência, derrubou de vez o já ouvido" (José Augusto Lemos in Antônio Carlos e Jocafi ao quadrado do rock bretão in Somtrês, nov. 1981 in crítica do LP Never Too Late).

"Sintomaticamente, duas faixas desta bolacha levam os nomes de 'I Love Rock And Roll e 'Resurrection' - quem acreditar na primeira afirmação, contribuirá para a segunda". (André Mauro in Música in crítica do LP 1982).


1982. No Marquee Club, o quarteto BRAIN (Brazil/Spain) tomava canecas de chopp em companhia do ex-baterista do Status Quo; John Coghlan que falava do seu novo projeto o DIESEL formado com o guitarrista Micky Moody (ex-Whitesnake) ambas lançaram disco?

"As más línguas dizem que para se tocar na banda Diesel basta estar livre e saber tocar 'Johnny B. Good' de Chuck Berry" (Leopoldo Rey & Gilles Philippe in Livro Negro Do Rock, o dicionário do Heavy Metal 1º Volume - Editora Três)

"A fórmula, que já estava esgotada, não tem mais como ser mantida, fazendo um fim de carreira que certamente será pouco lamentado" (Paulo Pestana O último grito do Status Quo crítica do LP Back To Back" in Correio Braziliense, 4 jul. / 1984)

  

 "Apesar de estar vendendo bem, o último single do Status Quo - 'Fun Fun Fun', gravado com os Beach Boys - sofreu preconceito do diretor de programação da Rádio BBC. Resultado? Os caras estão processando a emissora em 250 mil libras!". (International Magazine nº24 - 1996).

 

Status Quo por Gustavo Menoncin Pereira e Fernando Vieira - Whiplash

Trecho

"Bobby Geldof conseguiu reunir a banda de novo, em 1985 para tocar no Live Aid o que eles fizeram com grande alegria. A recepção à banda foi magnífica, e a volta era inevitável... Contudo, Rossi e Lancaster não concordavam com mais nada, musicalmente falando. Parfitt tomou o partido de Rossi e Alan saiu da banda. O novo Quo incluia 2 novos membros, Jeff Rich na bateria e John Rhyno Edwards no baixo; e produziu cada vez mais músicas leves ao invés do estilo pesado dos anos 70. Apesar disto, In The Army Now e Ain't Complaining foram muito bem recebidos e tiveram boa venda, mas Perfect Remedy foi um fracasso. (...)

"Em 1991 Rossi produziu um grande álbum, que lembra, e muito, o Quo dos bons tempos, Rock Till You Drop, que comemorou 25 anos da amizade de Rossi e Parfitt . Seguiram-se mais alguns albuns na década de 90, inclusive um excelente ao vivo Live Alive Quo (1992). Em 1996, Don´t Stop celebrou os 30 anos de Rossi e Parfitt e da banda. (...)

"Em 1999 saiu o álbum Under The Influence, 26º de uma carreira de 31 anos. A formação da banda continua a mesma desde 1986, com Francis Rossi e Rick Parfitt à frente. O álbum foi muito bem recebido pelos fãs. A turnê se iniciou com 34 shows realizados em pubs, com no máximo 200 pessoas permitidas para a audiência; agora, o Quo parte para os grandes shows, em festivais e próprios, que sempre culminam com o mês de dezembro onde tocam o mês todo na Inglaterra.

Fã Clube Brasileiro

Status no saldão! Status Quo For Sale!
Em 1976 no Brasil, o primeiro material gravado pelo Status Quo na PYE Records era compilado em dois LPs The Best Of Status Quo capa creme com o clássico bordão de "In My Chair" e The Rest Of Status Quo um segundo volume mais raro, ambos lançado pela Chantecler; já a Vertigo lançava os novos: ambiguidades do mercado fonográfico nacional: a desgastada rotina de aproveitar o lançamento de um novo álbum para reeditar velhacarias e levantar um troco.
No Guará, "In My Chair" ganhou uma versão Louco Até Os Ossos que era tocada pelos Magrellos, futuro Extremo. Statusquomaníacos mesmos eram Luis "Punk", Zé Kuspi e Fernando. No Antiquário Fortaleza, certa feita vi uma edição francesa do LP Piledriver, cuja capa-dupla-branca era uma pérola, não o comprei porque o vinil não estava tão conservado, mal pisquei os olhos e, Fernando o comprou. Só então, nas suas mãos vi, o valor gráfico da capa, era tarde. O primeiro LP dos Status Quo que eu ouvi foi Blue For You. Que pertencia a Pedro Veras e era ouvido por toda a "UVA", as primeiras tentativas de tirar canções partiam destes discos. A volta do Status Quo em 1979, com o LP Whatever You Want com seu toque new wave foi saudada, um ano mais tarde, com várias audições da balada "Living On An Island". O lançamento de Whatever You Want coincidia com o relançamento de vários álbuns recentes do grupo pelo selo Vertigo, à preços módicos nas discotecas e entramos os oitenta ouvindo muito Status Quo.
Em 1983 lançaram uma caixa com todos os disco do Status Quo. Seis anos depois, a Young recuperou as velhas matrizes dos primeiros anos das bandas Traffic Jam e The Spectres está era a ordem de chamada no LP Quo-tations Vol.1 repertório? Os três primeiros compactos simples do The Spectres e o compacto simples do Traffic Jam pelo preço de 1 LP!
Na mesma década de noventa, no território digital importado, a série da Vertigo, "Back 2 Back! for 1" trazia dois álbuns por CD (a exemplo de Quo & Blue For You), foi sucesso de vendas. Uma outra coletânea importada Status Quo B-sides & Rarities resgatava o material gravado na PYE e lançado anteriormente em vinil aqui em 1976.

Um lote de discos... vinte anos atrás...
A sorte grande é comprar discos em algum sebo dias antes da sua inauguração ou quando um antigo colecionador abre o bolo para negociar seus LPs, isto ocorreu comigo: no Sebo Do Disco aberto há alguns anos e visitado diariamente por mim, encontrei um lote inesquecível de discos importados, algum filho de diplomata ou estudante voltando da Europa deixou um pacote de discos sensacionais lá. Nesta ocasião comprei: The Who Live At Leeds! com um ingresso original de show da Arena de Wembley/1975 colado na capa, um Status Quo On The Level inglês com a capa-dupla, um earlier Jimmy Page com Sonny Boy Williamson (com foto na capa tirada do filme The Song Remains The Same), um Tarkus inglês capa-dupla-maravilhosa do Emerson, Lake and Palmer, um Sabbath Bloody Sabbath inglês, edição capa-dupla-independente com um ingresso original de show colado no canto, um encarte em papel vegetal e dentro da capa-dupla uma foto espectral dos integrantes do Sabbath sem camisa dançado uma missa negra e também o Rush, All The World's A Stage álbum-duplo-ao vivo-canadense c/ capa-tripla! Os LPs do Black Sabbath e Rush foram trocados pela coleção de Emerson, Lake and Palmer do Edinho, os demais ainda me acompanham...

 

 

 

Articles View Hits
8570163

We have 453 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro