Morreu David "Honeyboy" Edwards a lenda do Delta Blues

Obituário
"Honeyboy" Edwards. Secou a fonte do Delta Blues
por Maria Ramos Silva, Publicado em 31 de Agosto de 2011
http://www.ionline.pt/conteudo/146121-honeyboy-edwards-secou-fonte-do-delta-blues 

David "Honeyboy" Edwards, o ultimo dos músicos do Delta blues, morreu segunda-feira, aos 96 anos
 
Outubro de 2011 consegue ser longe demais para o bluesman que, mesmo depois dos noventa, coleccionava quase 100 concertos por ano. Os 96 anos de David "Honeyboy" Edwards não chegaram a tempo do King Biscuit. Actuaram pela última vez a 16 de Abril deste ano, no Juke Joint Festival, em Clarksdale, Mississippi.

O famoso Delta, "o lugar mais a sul do mundo", trincheira económica e cultural movida a ferozes vocais introspectivos, perdeu a mais resistente das ligações a uma geração de bluesmen, a última referência de uma casta única que marcou as segunda e terceira décadas do século passado, depois da morte do veterano das teclas, Pinetop Perkins, com respeitáveis 97 anos, em Março. Honeyboy, anunciou o agente, Michael Frank, morreu segunda-feira na sua casa em Chicago.

Nascido em Shaw, Mississippi, a 28 de Junho de 1915, Edwards foi um auto-didacta que sorveu as performances de nomes como Tommy McClennan e Robert Petway. Filho de agricultores, que o agraciaram com a alcunha "Honey", mais tarde "Honeyboy", David cresceu entre música. O pai, que lhe ofereceu a primeira guitarra, actuava em eventos locais e iniciou-o nas baladas folk. Em 1919, o country blues de Tommy Johnson, que viera apanhar algodão na plantação de Wildwood, quinta perto de Greenwood, onde a família Edwards vivia, abre-lhe as portas da descoberta do género, embalado pelos serões entre guitarras depois do trabalho nos campos, como recorda na sua autobiografia "The World Don''t Owe Me Nothing" (1997).

Aos 14 anos, idade com que saiu de casa, passou a acompanhar o seu mestre, o lendário Big Joe Williams, trampolim para ladear ao vivo os principais vultos da época, Big Walter Horton, Yank Rachell e Robert Johnson, o maior entre os maiores do blues, o Rei do Delta, com quem nos anos 30 viajou país fora de guitarra ao ombro, levando o slide a piqueniques, esquinas de rua, a cada porta de casa alcançada à custa de uma boleia num camião. Da itinerância para os mercados ao ar livre de Maxwell Street e para os clubes nocturnos de Chicago, a sua morada permanente a partir dos anos 50, e daí para o estrelato internacional.

Ao longo de oitenta anos, Honeyboy, que só gravou comercialmente pela primeira vez depois da II Guerra Mundial ("Who May Be Your Regular Be", Arc, 1951), cruzou-se praticamente com todos os intérpretes desta linguagem acústica, de Charley Patton a Howlin'' Wolf, sem esquecer Muddy Waters. Os únicos registos recolhidos nos primeiros tempos passados no Delta datam de 1942 e destinaram-se à Biblioteca do Congresso.

Mergulhou nas águas mais densas dos blues e amealhou desempenhos clássicos aprovados por um jogo intricado de dedilhares num guitarra falante que viriam a moldar a história do r&b e do rock''n''roll. O pai de Just Like Jesse James, Long Tall Woman Blues e Gambling, alguns dos seus maiores sucessos, ganhou um Grammy em 2008, pelo álbum "Last of the Great Mississippi Delta Bluesmen: Live in Dallas," colaboração com Henry Townsend, Pinetop Perkins e Robert Lockwood Jr., e um outro em 2010, como reconhecimento da sua extensa carreira.

Fiel ao estilo tradicional, Edwards, que desde 1996 integra o panteão do Blues Hall of Fame, não deixou de ser dos primeiros músicos a partilhar os dotes com o bottleneck numa actuação com um saxofonista e um baterista. O revivalismo blues dos anos 60 avivou a sua popularidade, seguida de perto pelo agente Michael Frank, o tocador de harmónica com quem trava conhecido em 1972 e que o acompanhou em palco e em estúdio até ao fim da sua vida.

 


Morreu lenda do blues

http://cotonete.clix.pt/noticias/body.aspx?id=48521

 david_edwards

30 ago. / 2011 - O músico norte-americano David "Honeyboy" Edwards morreu ontem, na sua casa em Chicago, com 96 anos.
 
Considerado por muitos especialistas como o último intérprete de uma geração de músicos do período anterior às duas grandes guerras, até 2008, Edwards dava cerca de 70 concertos por ano.

Em 2008 o músico ganhou o Grammy de Melhor Disco de Blues Tradicional, com o álbum "Last of the Great Mississippi Delta Bluesmen: Live in Dallas", e em 2010 recebeu o Grammy Carreira.

Nascido no Mississippi em 1915, Edwards aprendeu a tocar ainda em criança. Aos 14 anos saiu de casa. Começou a trabalhar em Chicago, cidade onde conheceu grandes nomes do blues. Entre 1930 e 1940, juntou-se a artistas como Howlin Wolf e Little Walter, músicos ligados ao estilo Delta Blues, um dos mais antigos estilos de blues, tendo começado a viajar com estes artistas. Aos 17 anos, Edwards já tocava como profissional em Memphis.

O seu manager, Michael Frank, amigo do cantor desde 1972, diz que Edwards tinha uma memória fotográfica, o que lhe valeu muitas horas de histórias contadas em diversos documentários. "Honeyboy" ficou conhecido pelo seu dedilhar na guitarra e também por ser um dos primeiros músicos do Delta Blues a tocar com saxofonistas e bateristas. O seu grande período de popularidade começou em 1960.

Considerado uma lenda do blues, foi eleito para o "Blue Hall Fame", em 1996, e nomeado para o "National Heritage Fellow by the National Endowment for the Arts", em 2002. Em 2007 participou no filme "Walk Hard: The Dewey Cox Story", onde se representou a si próprio.

 

Articles View Hits
7840209

We have 740 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro