2001: MORRE AOS 58 ANOS O EX-BEATLE GEORGE HARRISON

MORRE AOS 58 ANOS O EX-BEATLE GEORGE HARRISON
da Folha Online

30 nov. / 2001 - Morreu de câncer nesta quinta-feira, às 13h30, em Los Angeles (18h30 de Brasília), o ex-Beatle George Harrison, aos 58 anos. Ele estava na casa do amigo Davin De Becker, com a mulher Olivia e o filho Dhani. Antes de partir para os Estados Unidos, Harrison havia passado por uma clínica da Suíça para tratar um tumor. A notícia só foi divulgada nesta sexta.

"Ele morreu com uma só coisa na cabeça: amem-se uns aos outros", disse o amigo de Harrison, que junto de Olivia e Dhani acompanharam os últimos momentos ao seu lado.

Harrison vinha enfrentando problemas de saúde desde 1997, quando retirou um gânglio da garganta.

Em dezembro de 1999, ficou quatro dias no hospital depois de ser esfaqueado por um fã que invadiu sua casa, em Londres.

Este ano, teve de ser submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor no pulmão. Houve rumores de que Harrison teria um tumor no cérebro notícia negada pelo músico.

George Harrison, 58, era o caçula dos Beatles. Amigo de escola de Paul McCartney, o guitarrista começou a tocar com McCartney e John Lennon em 1958, quando tinha 15 anos e o grupo ainda se chamava The Quarrymen.

Como compositor, emplacou poucas canções, mas uma delas, "Something", tornou-se um dos grandes sucessos dos Beatles. Também são de sua autoria as músicas "While My Guitar Gently Weeps" e "Here Comes the Sun".

Em 1965, depois dos Beatles terem alcançado a fama, Harrison encantou-se pela música indiana. Passou a praticar a meditação e aprendeu a tocar cítara, instrumento usado pelo grupo na gravação do disco Rubber Soul.

Por influência sua, o grupo viajou para a Índia, em 1968, para conhecer o guru Maharishi Yogi. O "retiro espiritual" se mostrou um fracasso, pois os outros beatles abandonaram a viagem em poucas semanas. Harrison seguiu praticando a religião hindu.

Após a separação oficial dos Beatles, em abril de 1970, Harrison partiu para carreira solo e lançou o álbum triplo All Things Must Pass, que trazia o sucesso "My Sweet Lord".

Em meados da década de 70, depois do lançamento do álbum Concerto para Bangladesh, deixou de tocar e passou a se concentrar na produção de filmes.

Esteve envolvido em vários projetos do grupo cômico britânico Monty Python, entre eles o filme A Vida de Brian.

Em 1977, Harrison divorciou-se da modelo Patti Boyd, com quem estava casado desde 1966.

Em 1980, Harrison lançou a autobiografia "I Me Mine", título retirado de uma canção sua para o álbum "Let it Be".
Sete anos depois, o disco "Cloud Nine" rendeu a Harrison um disco de platina.

Em 1988, gravou dois álbuns com o grupo Traveling Wilburys, formado por ele e pelos amigos Bob Dylan, Roy Orbison, Tom Petty e Jeff Lynne.

O reencontro com os beatles Paul McCartney e Ringo Starr aconteceu em 1995, quando os três se reuniram para lançar The Beatles Anthology, um pacote com documentário de televisão e três CDs com músicas inéditas e interpretações desconhecidas de clássicos da banda.

Em 2000, os três lançaram o livro The Beatles Anthology, a biografia 'oficial' do grupo. Em fevereiro deste ano, Harrison relançou All Things Must Pass, agora em CD duplo e com cinco faixas inéditas.

George Harrison nasceu em 25 de fevereiro de 1943, em Liverpool, na Inglaterra. Era casado com Olivia Arias desde 1978 e tinha um filho, Dahny.


Morte de Harrison comove Reino Unido e causa corrida a Abbey Road
da France Presse, em Londres

Após 21 anos da morte de John Lennon, George Harrison, 58, vítima de um câncer, é o segundo Beatle a deixar os fãs e todo o Reino Unido chorando nesta sexta-feira pelo mais jovem dos "quatro rapazes de Liverpool".

Muitos jovens, o que testemunha a imortalidade dos Beatles, correram para manifestar sua emoção para os estúdios EMI de Abbey Road, ao norte de Londres, onde John, Paul, George e Ringo gravaram a maioria de suas canções.

Muitos londrinos também estão se dirigindo para a frente da casa de Harrison, em Henley-on-Thames (oeste de Londres).

O mais discreto dos componentes do conjunto musical mais famoso da história da música pop morreu ontem em consequência de um câncer no cérebro, confirmou seu companheiro de música e amigo de infância, Paul McCartney.

George Harrison morreu na casa de um amigo, em Los Angeles, tendo a seu lado a mulher Olivia, de 51 anos, e seu filho Dhani, de 24 anos.

O músico "se foi deste mundo como viveu, consciente da existência de Deus, sem medo da morte e em paz", declarou sua família, em um comunicado.

"Sabíamos que estava doente há muito tempo. Foi um cara adorável e um homem muito corajoso, e tinha um maravilhoso senso do humor. Era um verdadeiro irmãozinho meu", declarou Paul McCartney à imprensa, em sua residência ao norte de Londres.

"Travou uma longa batalha contra o câncer. Eu o vi na semana passada e ainda estava cheio de humor, como sempre", acrescentou McCartney, visivelmente comovido.

Na pátria dos Beatles, as homenagens ao autor de "Here Comes the Sun", "While My Guitar Gently Weeps" e "Something" se sucedem nesta sexta-feira, em todos os setores do país.

A rainha Elizabeth 2º declarou-se "muito triste", a bandera britânica foi colocada a meio mastro na prefeitura de Liverpool, berço dos Beatles, onde a municipalidade expôs um livro de condolências.

O primeiro-ministro Tony Blair, que chegava a Dublin, na Irlanda, para participar em uma reunião com seu colega irlandês Bertie Ahern, dedicou suas primeiras palavras à morte de George Harrison.

"A geração de Bertie (Ahern) e a minha cresceu com os Beatles", declarou Blair, 48. "Sua música e a personalidade dos membros do conjunto faziam parte de nossa vida", acrescentou, recordando que "Harrison não foi apenas um grande músico, e sim fez um grande trabalho de caridade."

George Harrison lutava havia anos contra o câncer. Foi operado uma primeira vez, em 1997, de um tumor na garganta, e foi submetido a uma segunda operação, dessa vez nos pulmões, em março passado.

No início deste mês, voltou a ser operado de um tumor no cérebro, no Staten Island University Hospital, de Nova York.

O mais jovem dos Beatles é o segundo membro do grupo que desaparece, depois que John Lennon foi assassinado por um desequilibrado em 1980.

Mas, ao contrário da violenta morte do excêntrico Lennon, George Harrison morreu discretamente, da mesma maneira com que viveu e conduziu sua carreira, eclipsado pela sombra gigante de John e Paul.

Mas este homem discreto, mais interessado pela vida interior do que pelas atividades mundanas, deixa uma contribuição essencial para a música popular, como enfatizou o músico Bob Geldof, ex-cantor dos Boomtown Rats.

Família de George Harrison diz que ele morreu "sem medo e em paz"
da France Presse, em Londres

O ex-Beatle George Harrison "deixou este mundo como viveu, consciente da existência de Deus, sem medo da morte e em paz", declarou nesta sexta-feira a família do músico em um comunicado difundido pela BBC.

George Harrison, de 58 anos de idade, morreu ontem à noite em Los Angeles (EUA) na casa de um amigo. Estava "rodeado de sua família e de amigos", acrescenta o comunicado.

"Ele costumava dizer: tudo o mais pode esperar, mas não a busca de Deus, nem o amor ao próximo", lembrou sua família.

Médico de George Harrison diz que ele não tinha medo de morrer
da France Presse, em Nova York

George Harrison não tinha medo da morte. Na sua opinião, ela fazia parte da vida, afirmou nesta sexta-feira o oncologista que tratou o mais discreto dos Beatles.

"George Harrison acreditava que a morte fazia parte da vida, ele não tinha nenhum medo de morrer", disse Gil Lederman à rede de TV americana ABC.

"Ele era muito interessado nas questões espirituais, pensava que a vida e a morte estavam ligadas da mesma forma que a noite e o dia", afirmou.

"Tudo que ele procurava era o respeito a sua vida particular, ele adorava sua família", declarou Lederman. O mais jovem dos Beatles morreu devido a um câncer no cérebro nesta quinta-feira em Los Angeles, na casa de um amigo.

Lederman cuidou de Harrison no início do mês, depois que ele foi operado no hospital universitário de Staten Island em Nova York. Segundo a ABC, Harrison foi transferido em seguida para o centro médico da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA).

Rainha Elizabeth 2ª está "muito triste" com a morte de George Harrison
da France Presse, em Londres

A rainha Elizabeth 2ª, da Inglaterra, está "muito triste" com a morte do ex-Beatle George Harrison, ocorrida ontem em Los Angeles, em consequência de um câncer, anunciou nesta sexta-feira o Palácio de Buckingham.

"Podem dizer que a rainha está muito triste com a morte de George Harrison", declarou à Agência France Presse um porta-voz do palácio.

Tony Blair declara que toda uma geração cresceu com Harrison
da France Presse, em Dublin (Irlanda)

O primeiro-ministro britânico Tony Blair disse nesta sexta-feira que sua geração cresceu com os Beatles e manifestou sua tristeza pela morte de George Harrison aos 58 anos de idade, devido a um câncer generalizado.

"A geração de Bertie (Ahern, o primeiro-ministro irlandês) e a minha cresceram com os Beatles", declarou Blair, de 48 anos de idade, que está em Dublin para participar em uma reunião de cúpula britânico-irlandesa.

"Sua música e a personalidade dos membros do conjunto faziam parte de nossa vida", afirmou.

Lembrou também que "Harrison não foi somente um grande músico, fez também um imenso trabalho beneficente".

George W. Bush diz estar triste com a morte de George Harrison
da Reuters, em Washington

A Casa Branca disse na sexta-feira que o presidente norte-americano George W. Bush ficou triste com a morte do ex-Beatle George Harrison.

O porta-voz da residência oficial, Ari Fleischer, afirmou que o "baby-boomer" Bush era fã dos Fab Four.

"O presidente está muito triste com a morte de Harrison. Ele considera os Beatles um dos melhores grupos de todos os tempos da história da música", disse Fleischer.

Harrison morreu de câncer na quinta-feira aos 58 anos em Los Angeles.

Primeiro-ministro francês destaca "talento e sensibilidade" de Harrison
das agências internacionais

O primeiro-ministro francês, Lionel Jospin, disse hoje estar muito emocionado com a morte do ex-Beatle George Harrison, destacando seu "talento musical, sua criatividade e sua sensibilidade".

Em um comunicado oficial, Jospin disse que Harrison foi um "guitarrista impressionante" e que "deixa sua sensibilidade musical para as próximas gerações", em colaboração com músicos como Bob Dylan e Eric Clapton.

O chefe do governo da França expressou seus pêsames à família de Harrison e aos amigos, assegurando que sua memória estará presente em canções compostas pelo guitarrista, como "Here Comes the Sun" e "While My Guitar Gently Weeps".

Jospin classificou George Harrison como "uma das maiores personalidades da música pop".

 

Articles View Hits
7824532

We have 317 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro