REPERCUSSÃO: ARTISTAS FALAM DA MORTE DE GEORGE HARRISON (2001)

"VIDA DE GEORGE HARRISON FOI MÁGICA", DISSE YOKO ONO

das agências internacionais
30 nov. / 2001 - A viúva de John Lennon, Yoko Ono, disse hoje que a vida do ex-Beatle George Harrison foi "mágica" e que ele contribuiu muito ao mundo com "sua música e sua sabedoria".

"George nos deu tanto durante sua vida e seguirá dando após a sua morte", disse Yoko Ono à imprensa.

"Sua vida foi mágica e sentimos que compartilhamos um pouquinho dela". Obrigada George, foi grandioso te conhecer", declarou.

A viúva de Lennon enviou seus pêsames à esposa e filho de Harrison, Olivia y Dhani, e pediu à imprensa que mantenha distância e que respeite a família neste momento de dor.

Mary Hopkin, uma amiga de Harrison que chegou a cantar com os Beatles nos anos 60, disse que é "uma grande perda", mas que já esperava pela morte do amigo.

O companheiro de grupo Paul McCartney disse que Harrison era um "irmãozinho".


Para Paul McCartney, Harrison era "simplesmente um irmãozinho"

da France Presse, em Londres
30 nov. / 2001 - O ex-Beatle Paul McCartney declarou nesta sexta-feira estar "arrasado e tristíssimo" pela morte do homem que foi seu amigo de infância e companheiro de conjunto, George Harrison, que era, como ele próprio disse, "meu irmãozinho".

"Sabíamos que estava doente há muito tempo. Era uma pessoa adorável e um homem muito valente. Tinha também um maravilhoso senso de humor. Era verdadeiramente meu irmãozinho", declarou Paul McCartney à agência britânica Press Association.

Emerson Fittipaldi diz que Harrison morreu acreditando na vida eterna
da Folha Online
30 nov. / 2001 - O ex-piloto Emerson Fittipaldi, que era amigo do ex-Beatle George Harrison, divulgou hoje uma nota, por meio de sua assessoria de imprensa, sobre a morte do músico.

"O piloto Emerson Fittipaldi passou a manhã de hoje inteira em contato por telefone com a família e amigos do músico George Harrison. Muito triste com a notícia da morte de seu grande amigo, Emerson lembrou em seu escritório, que conheceu George Harrison no Grande Prêmio da Inglaterra em Brands Hatch, em 1973. Fã fervoroso da Fórmula 1, depois disso, George passou a se encontrar com Emerson em vários outros GPs. 'Nós ficamos muito amigos e passamos a nos encontrar também fora da pista. Passamos férias com nossas famílias e sempre que ia à Inglaterra, jantávamos juntos', conta Emerson.

Muito emocionado, Emerson Fittipaldi contou que esteve em agosto com George Harrison, quando a doença já estava em estado adiantado. 'Fiquei três dias em Lugarno, na Suíça com George e sua esposa Olívia, e conversamos muito. Quando eu cheguei senti que ele estava bastante abatido. Aos poucos foi se animando e no último dia ele não queria deixar eu ir embora. Mostrou várias músicas novas que estava gravando em um novo CD. Muitas delas falava de Cristo, o que me deixou muito contente em saber que George aceitou Cristo em seu coração, acreditando na vida eterna'.

Emerson contou que George era uma pessoa que cultivava muito as amizades. 'Quando gostava da pessoa ele se tornava um amigão. Mostrava sempre muito carinho e gestos de amor para com seus amigos. Sua doença o vinha abatendo muito, mas sempre com o espírito de guerreiro mostrava um amor impressionante pela vida. Sua esposa Olívia também sempre foi uma grande guerreira ao lado de George', conta.

Lembrou também que quando sofreu o grave acidente na Fórmula Indy, George Harrison fez uma música enquanto se recuperava, hospitalizado nos Estados Unidos. 'Hoje é um dia bastante triste para mim, mas tenho certeza que George morreu acreditando na vida eterna e que um dia nós estaremos novamente juntos'."

Rita Lee e Los Hermanos lamentam morte de Harrison
da Reuters, em São Paulo

Os Beatles foram e continuam sendo uma forte influência em todo o mundo musical. No país, a morte do guitarrista George Harrison abalou a muitos, mas foi sentida principalmente por artistas que viram nos "Fab Four" o empurrão para sua carreira musical, como os brasileiros Rita Lee e, mais recentemente, o grupo Los Hermanos.

"George não era um Clapton na guitarra, mas seu estilo simples era inconfundível e todos os guitarristas daquela época tinham seus solos na ponta dos dedos", disse Rita Lee em comunicado divulgado pela assessoria de imprensa da Abril Music.

A cantora lançou recentemente o disco Aqui, Ali, em Qualquer Lugar, no qual interpreta canções dos Beatles em português com um toque de bossa nova nas melodias. Fã confessa dos rapazes de Liverpool, Rita Lee disse que Harrison era "pra lá de elegante!".

"George era o mais espiritualizado dos Fabs e não tinha pudores de compor músicas que reverenciavam o Senhor e as divindades todas...", disse ela.

"George, o Beatle tímido...Foi ele quem 'aplicou' os companheiros nas influências indianas quando praticamente desafiou: se vocês não forem à Índia comigo me considerem fora dos Beatles."

Além disso, Rita Lee lembrou do espírito "pacífico" de Harrison. "Na disputa entre Lennon/Yoko e Paul/Linda, ele declarou: tomara que meus companheiros sejam ainda mais felizes no amor do que na música", acrescentou a cantora.

A tristeza com a morte do ex-Beatle também tomou conta do vocalista do Los Hermanos, Marcelo Camelo. "Nunca o conheci ou falei com ele, mas é um ídolo que se vai...é como a gente se sente na morte de alguém como ele", afirmou Camelo.

George Harrison tocou guitarra na gravação da versão em inglês da música Anna Julia, sucesso do Los Hermanos, a convite do cantor e baterista Jim Capaldi, que conheceu Camelo no ano passado durante a entrega de uma premiação do canal a cabo Multishow, no Rio de Janeiro, e gostou da canção.

"Me sinto como qualquer fã de Beatles que cresceu ouvindo as músicas deles. Estou muito chateado", afirmou o vocalista.

O guitarrista Edgard Scandurra, do grupo paulistano Ira!, disse que Harrison era o seu Beatle favorito.

"(Ele) compôs algumas das músicas mais bonitas que os Beatles gravaram, como 'Something' e 'He Cames The Sun'. Teve uma carreira solo brilhante, com o típico humor inglês nas suas canções e videoclipes. Fico muito triste em ter mais um Beatle tocando na banda de cima", afirmou Scandurra, também via comunicado.

Carlos Eduardo Miranda, diretor da gravadora Trama, contou que muitos dos seus funcionários estão abalados, incluindo o apresentador e produtor Kid Vinil. "Ele está aqui do meu lado e muito chateado. Mas a gente vai levando", contou Miranda.

"(A morte de Harrison) foi a primeira coisa que eu soube no dia e já esperava por isso, pois ele estava doente. Mas é uma pena. Tomara que ele e o Lennon façam uma dupla no céu e que um dia a gente possa ouvir."

Repercussão: Artistas falam da morte de George Harrison
da Folha de S. Paulo

1º dez. / 2001 - "George era o Beatle tímido, mas num surto de deslumbre obrigou os companheiros a irem para a Índia com ele, caso contrário sairia do grupo. Não era um Eric Clapton na guitarra, mas seus solos estavam sempre na ponta dos dedos de todos os guitarristas da época. Não tinha pudores de compor musicas para o Senhor, era um Beatle espiritualizado. Nas disputas entre Lennon e Yoko, Paul e Linda, desejou que seus companheiros fossem ainda mais felizes no amor do que na música. Era um Beatle elegante, nunca esteve metido em escândalos ou clínicas de desintoxicação. Still his guitar gently weeps."
RITA LEE, cantora

"Escutei muito os Beatles, mas não conheço tão profundamente o trabalho solo de George Harrison. Conheço um ou outro disco dele. Quando fiz show em Londres, depois de ter gravado "Give Me Love", recebi um bilhetinho dele nos bastidores, por intermédio do Jim Capaldi, em que me agradecia por eu ter gravado a canção. Guardo esse bilhete com carinho até hoje."
MARISA MONTE, cantora

"Relativamente ignorante, sei que ele era dos Beatles e que fez algumas músicas de sucesso depois, inclusive uma que fala de Jesus. Mas só me lembro de quando, em setembro de 67, Caetano Veloso sentou comigo uma tarde para ouvir "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band". Traduziu tudo para mim e disse: "Eu sei que você não ouve, mas é importante conhecer". É realmente um disco belíssimo, de que ninguém se esquece."
TOM ZÉ, músico

"Por se revelar um guitarrista soberbo e um compositor brilhante, George me inspirou numa canção dos Secos & Molhados, "Fala". É a musica "Isn't It a Pity" tocada ao contrário."
JOÃO RICARDO, ex-integrante dos Secos & Molhados

"Ainda ontem (quinta-feira), eu estava lendo a biografia do Paul e coloquei um CD deles para tocar. Minha filha pegou a capa e ficava me perguntando quem eram aqueles na foto. E eu mostrava: o de azul é o George, o de preto, o Jonh, o de branco, o Paul, o de vermelho é o Ringo. No começo eu me identificava bastante com George, com aquela coisa de música indiana. É uma pena, agora só restam dois. George é o de azul."
ARRIGO BARNABÉ, músico

"Nem há muito o que falar, me sinto mais um fã. Só vi no "Fantástico" a versão de Jim Capaldi para "Anna Júlia", em que George toca. Não tive nenhum contato com ele. O arranjo é muito parecido com o nosso, mas nem cabe falar disso neste momento. É uma perda para qualquer pessoa que tenha se envolvido com rock em alguma fase de sua vida."
MARCELO CAMELO, músico do grupo Los Hermanos

"Numa célebre entrevista, Frank Sinatra declarou que gravara "Something" por ser a melhor música de Lennon e McCartney. Gafes à parte, George foi um compositor e guitarrista estupendo, que gravou o que para muitos foi o melhor disco pós-Beatles de todos os Beatles, "All things must pass"."
ROBERTO DE CARVALHO, músico

"Considero George Harrison um dos maiores compositores, artistas e guitarristas da nossa época. É preciso destacar tambem a sua dedicação e atuação junto às causas humanitárias, que arrecadaram milhões de dólares para países miseráveis da Ásia."
CHARLES GAVIN, baterista dos Titãs

"Nunca fui um beatlemaníaco de carteirinha, daqueles que sabem tocar e cantar todas as canções do "Álbum Branco", a ficha técnica, os bastidores. Mas sempre gostei de provocar a torcida de Lennon e McCartney, dizendo que Harrison era o maior compositor dos Beatles. Sem dúvida ele era um melodista primoroso."
ZECA BALEIRO, músico

"Harrison não foi um Beatle relutante. Ele sabia que seu lugar na cultura pop estava absolutamente garantido",
BOB GELDOF, músico inglês

"George Harrison era meu Beatle favorito. Compôs algumas das músicas mais bonitas que os Beatles gravaram. Teve uma carreira solo brilhante, com o típico humor inglês em suas canções e videoclipes",
EDGARD SCANDURRA, guitarrista do Ira!

"Bom, todo mundo sabia que ele estava com câncer terminal, que era um cara muito bem humorado e por isso conduzia alegremente sua vida. De qualquer jeito, é muito triste, parece que é uma pessoa da família, algo muito próximo"
LOBÃO, músico

"Hoje é um dia triste. A doença o abateu muito, mas sempre, com seu espírito guerreiro, mostrava um amor impressionante pela vida. Quando gostava de uma pessoa, ele se convertia num grande amigo. Mostrava muito carinho e gestos de amor para com seus amigos",
EMERSON FITTIPALDI, automobilista e amigo de Harrison

"Harrison era um músico formidável, além de ser uma pessoa maravilhosa. Ele conseguiu evoluir para uma dimensão superior. Era o bebê dos Beatles e, ao contrário de Paul (McCartney) e de John (Lennon), enfrentou dificuldades para desenvolver seu talento como compositor e escrever suas próprias músicas",
GEORGE MARTIN, primeiro produtor dos Beatles

"George foi um grande músico, compositor e amigo. O mundo perdeu um grande espírito, um grande músico, compositor e amigo. George foi uma grande inspiração para mim",
MICHAEL JACKSON, músico

"George Harrison foi um rock star improvável: tímido, sensível, retraído, completamente o contrário do que se espera de um ícone do rock"
MICHAEL PARKINSON, apresentador de TV inglês

"Ele acreditava que a morte fazia parte da vida, não tinha nenhum medo de morrer",
GIL LEDERMAN, cancerologista do músico

"A morte de Harrison só nos faz lembrar a importância dos Beatles para a música da nossa geração",
CATHERINE TASCA, ministra da Cultura da França

"O presidente está muito triste com a morte de George Harrison. Ele considera os Beatles uma grande parte da vida de todos os "baby-boomers" e um dos maiores grupos de todos os tempos na música",
ARI FLEISCHER, porta-voz do presidente norte-americano, George Bush

"Sem ele, haveria faltado algo muito importante na história dos Beatles: a harmonia. Tinha ouvido absoluto, acho que foi o guitarrista mais harmônico, mais orquestrador e mais avançado da história do rock mundial. Entre os Beatles, George era o mais jovem, o mais cool, o mais calado, mas talvez o melhor instrumentista de todos",
CHARLY GARCÍA, músico argentino

 

Articles View Hits
8070169

We have 530 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro