LP UNDER A RAGING MOON OU JAMAIS ACREDITE EM UM 'MOD' (1985)

roger

JAMAIS ACREDITE EM UM "MOD"

"Under Raging on A Moon" a canção-título deste LP, é uma referência à lua irada de Keith Moon. A faixa é um dos melhores momentos do cantor neste tributo a Keith Moon.

Roger Daltrey e The Who já tiveram, seguramente, mais despedidas artísticas que Sílvio Caldas, mas não pode aparecer qualquer oportunidade que eles voltam. Daltrey, depois de jurar que não colocaria mais os pés num estúdio, está de volta trazendo na bagagem o novíssimo Under a Raging Moon, que já vem com um sucesso na albigeira, a ótima "After The Fire", composição de outro Who, Pete Townshend.

Nunca se deve acreditar num mod e Roger Daltrey, aos 41 anos, ainda é um deles.

The Who, o grupo de onde saiu a voz de Daltrey, foi o único conjunto que ainda tinha pique. Mesmo depois que o rock tornou-se um dos maiores negócios comerciais, afinal, os quatro integrantes se recusavam a entrar no jet set internacional, como o fizeram, entre outros Rod Stewart e Mick Jagger.

Em sua volta, Daltrey traz a mesma garra. Logo no início deste Under a Ragging Moon, encontra-se uma pérola de Pete Townshend, feita sob medida para a voz do cantor: "After the Fire". Quase um retrato do cantor com uma poesia crua, que incomoda, mas que nunca mais se ouviu: "Eu ouço uma voz perguntando o que acontece depois do fogo / E então o som de uma janela quebrando e o grito de um tiro / E então o som de uma arma que está distante e o choro de uma criança faminta/ A noite é quente / Ma snada vai parar / Esta turma segue selvagem. Depois do fogo, o fogo ainda queima".

Irrequieto, Roger convidou algumas feras para acompanha-lo neste trabalho. São músicos dos mais diferentes estilos, com destaque especial para os bateristas – na faixa título há a participação de nada menos que sete deles em solos curtos. Neste festival percussivo, Daltrey e o produtor Alan Shacklock convocaram músicos de gêneros diferentes, indo do hard Cozy Powell ao elegante Stewart Copeland, do veterano Carl Palmer ao novato Zak Starkey, do famoso Roger Taylor a Mark Brzezicki, do Big Country.

Há coisas boas a explorar neste LP. Vire o lado e vá direto na terceira faixa, "It don't Satisfy me", parceria do próprio Daltrey com Alan Shacklock. As palavras não são tão elaboradas, mas ainda assim saem com fúria, embalada spor um rock furioso e uma interpretação vigorosa.

UNDER A RAGING MOON

In the searchlights

you could see us as we circled around

Down below us you were screaming

I could hear the sound

I could see your arms

Reaching up to me

Like a demon, I could feel the madness

Running through the crowd

We were freedom

From the moment that we hit the ground

And the wild man he laid the thunder down

Do you remember me?

Like I remember you

In a sea of hands

You came shining through

In the mist of time

I can see it now

All my life I will remember this

(Under a raging moon)

For this moment I was born for it

(Under a raging moon)

 

Under a raging moon

We were flying there

Under a raging moon

We saw Zion there

It ended all too soon

Under a raging moon

We were out there

When they handed us the rebel's crown

All the headlines,

All they tried to do was tear us down

But the wild man,

He didn't fool around

 

Do you remember me?

Cause I remember you

Yeah you won my love

When the dream came true

When my blood ran high--

I can hear it now

All my life I will remember it

(Under a raging moon)

For this moment I was born for it

(Under a raging moon)

Under a raging moon

We were flying boy

Under a raging moon

It's worth dying for

It ended all too soon

Under a raging moon

Taking me back to better times

We never read the danger signs

Why are the young,

Why are the young so blind? 

Articles View Hits
8162194

We have 793 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro