GUITARRISTA GARY MOORE MORRE AOS 58 ANOS (2011)

Guitarrista Gary Moore morre aos 58 anos

(fonte: http://musica.terra.com.br)

Domingo, 06 de fevereiro de 2011

O renomado guitarrista norte-irlandês Gary Moore, 58 anos, morreu neste domingo (6) durante o sono na Espanha, onde passava férias. A confirmação partiu do agente Adam Parsons, que conversou com a britânica BBC esta manhã.

Moore fez parte do grupo Thin Lizzy, ganhou notoriedade por ter feito parte da formação original do grupo irlandês Skid Row (que não é a banda americana de Sebastian Bach) e, posteriormente, por sua carreira solo.

Na adolescência, segundo relata o site HotPress, entre o fim das décadas de 1960 - início de 1970, ele se mudou para a capital Dublin para ser um dos quatro membros da formação original do Skid Row - junto com Brush Shiels (baixo), Nollaig Bridgeman (bateria), Philip Lynott (vocal) e ele como guitarrista. Foi posto de lado pelos membros que queriam fazer da banda um trio, estilo Taste, de Rory Gallagher, e Jimi Hendrix Experience.

Na década de 1970, se juntou ao Thin Lizzy, substituindo o também guitarrista Eric Bell. Mas sua relação com o líder do Lizzy, vocalista e compositor Philip Lynott era extremamente competitiva. Havia muitos conflitos entre eles, e apesar disso foram trabalhando até que lançaram do hit Parisienne Walkways (1979) e, depois, o single, Out In The Fields (1985), que estreou em quinto lugar nas paradas britânicas.

Enquanto fez parte da banda de Jon Hiseman, Colosseum II, a maior parte de sua carreita Gary Moore liderou sua própria banda, fazendo músicas estilo hard rock, metal, influências de jazz em uma fusão com blues.

O primeiro álbum de Moore Band, intitulado Grinding Stone, é datado de 1973. Nos últimos anos, voltou às raizes com o primeiro lançamento de Still Got The Blues em março de 1990 e, posteriormente, Back To The Blues, em 2001. Ao todo, ele tem 20 álbuns de estúdio, e também seis ao vivo, incluindo o DVD em Montreaux.

Barbieri comenta

À mais de 15 anos atrás quando passava em frente do clube The Garage em Londres, notei um panfleto branco e preto bem pequeno anunciando um show de Gary Moore para o próximo sábado naquele clube.

Olhei incrédulo porque considerava Gary Moore um guitarrista digno de arenas e estádios. Entrei imediatamente, fui direto na bilheteria e pedi um ingresso. A resposta obvia, como um balde de água fria, chegou imediatamente: O show está esgotado (Sold Out). Ainda dei uma chorada para ver se conseguia alguma coisa mas, não teve jeito.

Já do lado de fora do clube fiquei com o nariz colado no vidro vendo os cartazes e panfletos colados para saber se haveria mais alguma coisa deste calibre na programação da casa.

De repente, a garota que me atendeu na bilheteria saiu correndo e perguntou-me se ainda queria comprar o ingresso pois alguém acabara de ligar cancelando a sua reserva.

Assisti um show fantástico literalmente na frente do palco. Foi um show bem pessoal para uma platéia composta aparentemente de amigos e fãs. Antes do show Gary disse: "Não faz muito tempo, toquei aqui. Na época toquei o que vocês pediram. Desta vez só vou tocar o que gosto, uns blues velhos…"

Como todo guitarrista que se preza, Gary Moore tinha um temperamento forte mas, na guitarra ele realmente era um mestre do seu instrumento. Ouvi muito o álbum Still Got the Blues mas, o álbum dele que mais me marcou foi After the War onde o Ozzy Osbourne canta duas músicas. Este álbum foi lançado no período em que o Heavy Metal comia solto e as influências estão evidentes neste lançamento lá para todo mundo ouvir.

Portanto aqui deixo minha homenagem póstuma à este grande guitarrista colocando este álbum todo para que todos possam lembrar o quão grande músico ele era.

Antonio Celso Barbieri

Gary Moore - After the War (1988)

Articles View Hits
7843303

We have 1394 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro