MAM-BA traz recorte da produção de Almandrade

MAM-BA traz recorte da produção de Almandrade


divulgação morais This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

O artista e arquiteto Almandrade faz uma releitura de todo o seu trabalho para a exposição que inicia no Museu de Arte Moderna da Bahia a partir das 17h de 16 de dezembro. Em Almandrade. Um olhar do artista sobre seu trabalho, o artista faz um recorte de 14 obras, explicitando ao público qual visão possui de sua produção, que já soma praticamente quatro décadas. Desenho, objeto, escultura, gravura, serigrafia e pintura são algumas das técnicas utilizadas por Almandrade na exposição que fica em cartaz até o dia 12 de fevereiro de 2011.


Dedicar um olhar atento para sua própria obra, sobretudo quando já possui uma produção extensa, é função de todo artista contemporâneo. Almandrade defende este pressuposto e propõe esta exposição como um exercício curatorial, a partir de seus trabalhos realizados para épocas e suportes diferentes e que integram a coleção do MAM-BA.


A mostra do artista compreende as primeiras experimentações da arte contemporânea na Bahia, em meados da década de 1970, e se estende até sua produção atual, explicitando quais princípios e critérios o direcionaram para uma opção estética específica. “Trabalhos de várias épocas, sem uma perspectiva histórica, mostram fases diferentes e, relacionados em uma sala de exposição, propõem novas interrogações”, pontua Almandrade.


Das seis obras do artista que compõem o acervo do MAM-BA, apenas uma não compreende a exposição atual de Almandrade. Em sua concepção, as 14 obras “sugerem leituras e diálogos dos trabalhos entre si, o que faz parte do acervo e o que não faz”. O artista volta ao Museu de Arte Moderna da Bahia 11 anos após sua última exposição. De fato, esta será a terceira mostra que realiza no MAM-BA, sendo a primeira em 1980 e a outra em 2000.


O Sacrifício do Sentido inaugurou não apenas sua participação no museu, mas representou a primeira exposição individual de arte contemporânea de um artista baiano no MAM-BA. A mostra compreendia seus trabalhos realizados entre 1975 e 1980, “marcados principalmente pela arte conceitual que dominou a década de 70, e uma herança construtiva. Desenhos, objetos e instalação, sem cor, preto e branco”, conforme aponta.


Almandrade


Antônio Luiz M. Andrade é artista plástico, arquiteto, escritor mestre em desenho urbano, poeta e professor de teoria da arte das Oficinas do MAM-BA. No Brasil e no exterior, integrou exposições coletivas de poemas visuais, multimeios e projetos de instalações. Editou a revista “Semiótica” em 1974, a partir Grupo de Estudos de Linguagem da Bahia, do qual foi um dos criadores. Além de obras no Museu de Arte Moderna da Bahia, possui seu trabalho em acervos particulares e públicos, como a Pinacoteca Municipal de São Paulo.


Já realizou cerca de vinte exposições individuais nas cidades de Salvador, Recife, Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo, além de ter escrito em jornais e revistas especializados sobre arte, arquitetura e urbanismo. Entre seus trabalhos, podemos contar ainda a publicação dos
livros: O sacrifício do sentido, Obscuridades do riso, Poemas, Suor noturno e Arquitetura de algodão.


Almandrade foi premiado no Museu de Arte Moderna da Bahia, em 1981-82, recebeu o Prêmio Fundarte no XXXIX Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, em 1986, e o prêmio Copene de Cultura e Arte, 1997.


Serviço


convite exp_ Almandrade

Exposição: Almandrade. Um olhar do artista sobre seu trabalho

Local: Galeria 3 do MAM-BA

Visitação:  até 12 de fevereiro de 2012

Horários: Terça a domingo, das 13h às 19h, e sábados, das 13h às 21h.


End. Av. Contorno, Solar do Unhão, s/n.

Tel.: 3117-6139

 Núcleo de Comunicação Museu de Arte Moderna da Bahia

(71) 3117-6137

This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

www.mam.ba.gov.br

 

A arte de Almandrade é tema de exposição na Caixa Cultural SP

A Era dos Museus

Almandrade: Cultura dos Editais - O remédio amargo dos artistas

Almandrade: Malabarismo das Pedras

Almandrade: O Olhar Cômico da arte

Almandrade: O que dizem as fotos

Almandrade: Oiticica - Julho de 1979 – Um Breve Depoimento

Almandrade: Tropicália de Hélio Oiticica

Cidade, a Embalagem da Memória  

O carnaval, a cidade e o meio ambiente

 

Articles View Hits
7843749

We have 702 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro