Guará 42 anos: A voz do rock and roll

Guará – 42 anos

Música

A voz do rock and roll

Amigos dão continuidade ao movimento underground dos anos 1970

 

Guará, 5 mai. / 2011 - Engana-se quem pensa que o Guará é apenas uma cidade “dormitório” e sossegada. O rock está presente desde primórdios da criação da cidade e marca a história de várias bandas consagradas atualmente e músicos reconhecidos no cenário da música.

O movimento underground chegou ao Guará por volta dos anos 1970 e 1980. Com Mário Pacheco e com a banda Matusquelas. Ele organizava eventos e conseguia unir diversas bandas de rock, reunindo jovens e quem mais que curtisse o estilo.

Ricardo ‘Retz’, curador da cultura no Guará, recorda as suas produções de shows e a participação em algumas bandas, como Os Canelas de Cachorro e os Paraíbas Moicano. Ele trazias os “feras” do rock da época e chegou a fazer 14 shows por ano.

Quando trabalhou com reciclagem, Ricardo construiu um museu recolhendo nas casas discos antigos que eram doados e hoje possui um acervo de 8 mil discos. O museu fica no Guará II e não é aberto ao público, mas caso haja interesse, o colecionador abre as portas.

“O Guará tem um grande espaço para música, muitos artistas em Brasília cresceram ou residem na cidade, porém os pioneiros do rock no Guará acreditam que falta muito incentivo da prefeitura com a comunidade. Existem lugares como o Teatro de Arena, que suporta seis mil pessoas, e está abandonado, sem nenhum uso e nas piores condições”, ressalta Ricardo.

Um dos destaques da cidade é a existência de várias praças nas quadras, local onde a maioria dos jovem se reúnem para tocar violão e também divulgar suas habilidades musicais. Dessa forma, o lado cultural do Guará se desenvolve e se aprimora. A Administração propõe alguns shows durante o ano, entretanto Ricardo acredita que é preciso divulgar melhor as atividades, para que mais pessoas compareçam.

Dos vários eventos organizados por Ricardo, Os Raimundos, teriam feito shows marcantes no Guará. Ele conta que muitos dos eventos, eram realizados com o incentivo de comerciantes locais, como em pubs, bares e nas quadras. O produtor já chegou a reunir 45 bandas de rock em quatro dias de apresentações. “O Guará está precisando de eventos para consolidar toda essa nata roqueira, não apenas para constar. A cidade têm vários artistas, mas boa parte estão apagados”, lembra.

 

Jornal de Brasília, quinta-feira, 5 de maio de 2011

Rápido & Rasteiro
Ricardo 'Retz' em um ano, conseguiu produzir mais shows do que eu em toda minha vida. Fico emocionado, por ele ter se lembrado que eu ajudei a empurrar a pedra do rock goela abaixo. Obrigado!  (Mário Pacheco)

ricardo

Afrânio Negreiros (E), João Paulo e Ricardo Retz (D) organizam eventos no Guará

arquivos doprópriobo$o
O produtor Ricardo Retz volta com sucesso
Renato Russo: a primeira entrevista!
Guará: Hamilton Zen Artista multifacetado
Niltinho Legal é o canto do nordeste
9 julho: Curse of Flames no Guará Heavy Fest
Festival República Blues: Coquetel
Do Mestre Stanley Jordan, com carinho
GDF patrocina Ópera do Escândalo
Funerário = Funeral + Aniversário 
Guará: atraso irrita fãs e prejudica Alcione e Blitz 


Articles View Hits
7829676

We have 792 guests and no members online

Download Full Premium themes - Chech Here

София Дървен материал цени

Online bookmaker Romenia bet365.ro